AbdominoplastiaA abdominoplastia é uma cirurgia plástica que se destina a remover gordura localizada no abdomen inferior e serve para remover e reduzir a flacidez da pele da região umbilical e das estrias situadas entre o umbigo e os pêlos pubicos. Esta cirurgia plástica não consegue eliminar as estrias da região lateral ou da região superior ao umbigo.

A abdominoplastia é um tratamento de flacidez e não deve ser encarado como uma opção entre este procedimento e a lipoaspiração. Nos casos de lipoaspiração pura, não há flacidez de pele, mas somente excesso localizado de gordura em uma região com boa textura e elasticidade da pele.

Esta cirurgia plástica pode ser subdividida em mini abdominoplastia e em dermolipectomia clássica. Na primeira, trata-se somente a porção inferior do umbigo, não havendo necessidade de reposicioná-lo. Já na abdominoplastia clássica, trabalha-se todo o abdomen anterior com o tratamento concomitante da cicatriz umbilical.

A cirurgia plástica do abdomen não deve ser considerada como um tratamento de emagrecimento, apesar de nos casos de pacientes obesos perderem peso porque a quantidade de tecidos retirada é grande. As pessoas demasiado obesas obtêm resultados pouco satisfatórios com a cirurgia. Nestes casos, a indicação cirúrgica poderá ser feita apenas por razões funcionais e higiênicas.

Consideramos que o importante nestas cirurgias não é o que se retira, mas sim a manutenção das proporções do corpo e da harmonia como um todo após estas ressecções. Sendo uma cirurgia que retira determinada quantidade de pele e gordura, evidentemente haverá uma redução no peso corporal, que varia de acordo com o volume do abdomen de cada paciente.

Apesar disso não são os quilos retirados que definem o resultado estético desta cirurgia plástica, mas sim as proporções que o abdomen mantiver com o restante do tronco e os membros. Paradoxalmente, os abdomens que apresentam melhores resultados estéticos são justamente aqueles em que se retiram menor quantidade de gordura e pele. A cirurgia plástica também corrige algum grau de flacidez muscular da parede abdominal que possa acompanhar os excessos de tecidos. Assim, pode-se reposicionar os músculos retos do abdomen que foram afastados após uma gravidez, distensões abdominais prolongadas ou mesmo por incompetência muscular.

Como também se trata de uma cirurgia plástica de contorno, a abdominoplastia é muitas vezes acompanhada com a lipoaspiração dos flancos, ou seja a porção lateral do abdome, dorso, ou outras áreas de necessidade para a harmonia desta parte do corpo.

A abdominoplastia é realizada sob anestesia peridural com sedação, podendo ser geral a critério da equipa de anestesia. A abdominoplastia dura em torno de três a quatro horas. Vale lembrar que o tempo total de permanência no bloco cirúrgico é maior que o tempo real da cirurgia, pois o preparo e a recuperação pós-operatória contribuem para este aumento. O paciente deverá permanecer internado na clínica de cirurgia plástica ou hospital durante mais um ou dois dias.

É preciso relembrar que nenhum procedimento de cirurgia plástica é isenta de riscos. As cirurgias plasticas sao de uma maneira geral previsíveis e controláveis. As cirurgias estéticas devem ser realizadas em pacientes saudáveis e que passaram por uma criteriosa avaliação clínica e cardiológica.

Após incisão do abdomen inferior, descola-se todo o tecido superficial até a transição com o tórax. São cauterizados os pequenos vasos sangrantes deste trajeto e, após a ressecção dos excessos de tecidos que foram planejados para serem removidos, trata-se a flacidez muscular se estiver presente, reposicionam-se os tecidos abdominais com a posterior reinserção do umbigo, que ficará geralmente na mesma altura do original. São feitos pontos internos e externos, que serão retirados conforme a programação no pós-operatório. Em alguns casos são colocados drenos que serão removidos de 24 a 48 horas após a cirurgia plástica. São feitos curativos locais e o paciente é vestido em um modelador elástico, que será usado nos primeiros 30 dias, ou de acordo com a recomendação específica para cada paciente.

Cicatrizes da Abdominoplastia

As cicatrizes da abdominoplastia podem ser de tamanhos variáveis de acordo com a quantidade e localização do excesso de tecidos que tem de ser removidos. Elas se caracterizam por uma linha arqueada, sendo baixa na região pubiana e elevando-se em direção lateral. Com este formato a abdominoplastia é planeada para ficar escondida sob os trajes íntimos ou fato de banho. Em determinadas situações em que não há distensibilidade suficiente dos tecidos para alcançar a região pubiana, há a necessidade da complementar a cicatriz arqueada com um pequeno traço vertical mediano, deixando o aspecto final de um T invertido.

Nestes casos, cada situação é particular e não depende do cirurgião, mas sim das condições anatômicas de cada abdomen. O posicionamento das menores cicatrizes necessárias é feito, com vista a um bom resultado estético. Com a necessidade de reposicionamento do umbigo, uma pequena cicatriz é colocada ao redor do mesmo, mas de forma a escondê-la na depressão umbilical tanto quanto possível. Esta normalmente não é necessária nas mini-abdominoplastias.

Até o trigésimo dia após a cirurgia plástica, o corte da abdominoplastia apresenta um bom aspecto. Do final do primeiro mes após o final do décimo segundo mes, poderá haver um alargamento natural da cicatriz com mudança na sua tonalidade, podendo passar do vermelho ao marrom, para em seguida começar a clarear. Este é o período que mais preocupa os pacientes, todavia sendo é temporário e variando de pessoa para pessoa.

A partir daí, a cicatriz da abdominoplastia tende a ficar cada vez mais clara e menos espessa, atingindo seu aspecto definitivo. Portanto, qualquer avaliação definitiva de uma cirurgia deste tipo, deverá ser feita após um período de 18 meses. Na dúvida, o paciente deve conversar com o cirurgião plástico.

Em alguns casos as cicatrizes da abdominoplastia podem sofrer um alargamento, ou podem tornar-se grossas, altas e duras, formando quelóides. Estes acontecimentos estão relacionados à qualidade da pele ou à genética do paciente e não ao modo como foi realizada a cirurgia plástica. Se ocorrerem, o cirurgiao plástico deverá dar toda a orientação e tratamento adequado indicando, uma cirurgia oportuna para o retoque. As cicatrizes infra-umbilicais pré-existentes (cesariana ou de apêndice) são, na maioria das vezes, ressecadas durante a cirurgia. As que se localizam acima do umbigo, assim como estrias nesta localização permanecerão e serão deslocadas para baixo.

Particularidades da Abdominoplastia

Em algumas situações em os pacientes apresentam a região supra-umbilical muito espessa ou o chamado estômago alto com depósito de gordura. Nesta situacao pode haver a necessidade de mais de uma cirurgia plástica para se obter um bom resultado, já que nem sempre é aconselhável tratar esta região com descolamento dos tecidos e lipoaspiração concomitante. É através da porção superior do abdomen que os tecidos inferiores são nutridos, sendo que um trauma adicional da lipoaspiração nesta região pode trazer alguns inconvenientes.

Nestes casos, é recomendada a abdominoplastia num primeiro tempo e uma lipoaspiração depois de seis meses a um ano. Nos grandes obesos que perderam muito peso ou que foram submetidos a cirurgias plásticas de emagrecimento, pode ter que se particularizar os planos cirúrgicos com mudanças nos traçados cicatriciais.

Quando fazer uma Abdominoplastia

Quando existe flacidez abdominal comprovada, pode-se indicar esta cirurgia plástica. Em mulheres que ainda não tiveram filhos, recomenda-se refletir bastante antes de se decidir pela cirurgia. É aconselhável que a paciente converse com os seus familiares e com o médico. A cirurgia não impede que a paciente engravide, mas caso ocorra a gravidez após a abdominoplastia, os resultados estéticos ficarão comprometidos, necessitando de um nova cirurgia plástica. Também após uma gravidez, é recomendado esperar que os tecidos se acomodem antes de se fazer uma cirurgia plástica do abdomen.

Abdominopastia e o Tabaco

Antes de fazer a abdominoplastia é necessário deixar de fumar pelo menos 30 dias antes da operação. O fumo e o tabaco prejudicam a circulação cutânea e dificultam a cicatrização, levando até mesmo à necrose de pele. Em casos de necessidade associa-se vitamina C e vasodilatadores, antes da cirurgia. Isto será orientado pelo cirurgiao plástio.

Orientacoes Pós-Operatórias da Abdominoplastia

Normalmente, esta cirurgia plástica não apresenta um pós-operatório doloroso. Mesmo assim se apresentar algum grau aumentado de sensibilidade dolorosa, o uso de analgésicos comuns resolve bem e será recomendado na prescrição pós-operatória. O uso de medicamentos deve ser recomendado pelo médico ou cirurgiao plástico, seguindo todas as orientações dadas pela equipe cirúrgica. É melhor que o paciente esclareça dúvidas com o cirurgiao plástico que o operou, ao invés de pedir orientações a amigos que não conhecem detalhadamente o caso, ou outros profissionais médicos que não praticam esta cirurgia plástica.

Muitas vezes, o paciente sentindo-se muito bem, esquece que foi operado recentemente. É preciso cuidado! A euforia poderá levar a um esforço inoportuno que poderá comprometer os resultados da cirurgia plástica.

Nesta cirurgia plástica, o período de recuperação é maior. O paciente inicia o retorno parcial à suas actividades uma semana depois da abdominoplastia.

O paciente receberá alta hospitalar no dia seguinte à cirurgia plástica e recebe todas as recomendações necessárias a uma boa recuperação.

Abdominoplastia a Longo Prazo

A abdominoplastia associada ou não à lipoaspiração não é uma cirurgia que tem resultados para o resto da vida. Os resultados sofrem alterações contínuas ao longo dos anos. Alguns factores como a idade, variação do peso corporal, qualidade e textura da pele, influências hormonais, ou a gravidez interferem de forma com o abdomen, independentemente de ter ou não sido operado. Mesmo assim é dificil perder-se os resultados desta cirurgia. Quando for pertinente uma nova cirurgia plástica poderá ser indicada quando estas alterações se apresentarem, alterando o formato ou o volume do abdomen. A segunda cirurgia plástica não é um retoque da primeira, é um novo procedimento que poderá ser indicado para tratar os efeitos do tempo e outros factores sobre abdomen.